CONFERÊNCIA DE HABITAÇÃO SUSPENSA: POLÍTICA HABITACIONAL NÃO É PRIORIDADE PARA A PREFEITURA

Notícias 08/11/2018

Lucas Arruda foi exonerado como superintendente da Habitação e Saneamento Ambiental da secretaria de Infraestrutura, mas antes disso já havia suspendido a I Conferência Municipal de Habitação de Interesse Social de Florianópolis, um ganho histórico para discutir tema tão essencial para a nossa cidade e para o Brasil.

Sua substituta, Íris Farias, enviou mensagem aos participantes mantendo a suspensão por tempo indeterminado, sem maiores explicações. Você sabe qual a verba do município de Florianópolis para a política habitacional? Surpreendentes 0,09% do orçamento anual. O reflexo disso é visto na falta de dignidade para grande parte da população, no crescimento de pessoas em situação de rua e no aumento de comunidades com moradias em condições precárias.

O mandato do vereador Prof. Lino Peres, que participa da Conferência, entende que o evento é de extrema importância para os movimentos sociais, para o Executivo e para a cidade, e que deve ser realizado independentemente de quem está no comando da secretaria. Uma comissão foi instaurada para conduzir o processo e está trabalhando de forma efetiva, mas a suspensão está inviabilizando a realização ainda neste ano.

O ex-superintendente já estava resistente a fazer um evento com a participação popular adequada, já que não investiu em uma divulgação apropriada e sequer apresentou um diagnóstico e tampouco um balanço sobre o Plano Municipal de Habitação de Interesse Social (Pinis) sobre a situação da habitação em Florianópolis.

Dividir a cidade em quatro regiões é uma boa proposta dentro da dinâmica, mas o correto seria realizar uma análise com diagnóstico responsável da cidade como um todo para servir de referência para as plenárias regionais. Do contrário, a tendência é que os moradores se concentrem em problemas muito localizados e não consigam ter uma visão ampla da real situação, e consequentemente das soluções para o município que garantam o direito à cidade e justiça social, especialmente para os cidadãos em situação de vulnerabilidade.

Foto: Talita Burbulhan