CÂMARA MUNICIPAL DEBATE ACESSIBILIDADE, PORÉM O CERNE DA QUESTÃO PRECISA SER REVISTO

Notícias 10/10/2018

 

Apresentado na sessão de segunda-feira (08/10), o primeiro relatório - de uma série de estudos que serão realizados pelo Ministério Público Federal (MPF) para ampliar a acessibilidade nos órgãos públicos - prevê adaptações no prédio da Câmara Municipal. “É superinteressante e válida a iniciativa de trazer pra pauta essa discussão”, parabeniza Denise Siqueira, integrante do Floripa Acessível e mestra em arquiteta e urbanismo que acompanhou a apresentação, reconhecendo, porém, que faltam alguns avanços na forma como estão interpretando o tema: “a deficiência precisa ser compreendida a partir da interação com o meio ambiente e não como um problema do indivíduo”, explica no vídeo. O vereador profº Lino Peres segue o mesmo raciocínio, como arquiteto ele defende que os projetos precisam ser pensados a partir de um Desenho Universal, que contemple as diversas condições humanas, enquanto, os prédios antigos devem implementar soluções que garantam autonomia para toda e qualquer pessoa.

Lino solicitou acesso ao relatório do MPF para uma avaliação técnica e propôs duas reuniões como encaminhamento, uma com o presidente da Câmara Municipal para debater as mudanças e outra com o Procurador de Justiça Daniel Paladino, em ambas solicitou a participação do Floripa Acessível. Após a sessão, recebemos Denise no espaço Milton Santos, localizado dentro do nosso gabinete, para saber o que precisa ser considerado quando o assunto é acessibilidade. Confira!

Vídeo