LINO PERES PROTOCOLA CARTA ABERTA DO MOVIMENTO DE POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

Notícias 04/09/2017

Durante sessão de hoje na Câmara Municipal, o vereador Prof. Lino Peres (PT) protocolou uma Carta Aberta do Movimento Nacional das Pessoas em Situação de Rua – Santa Catarina, que denuncia o que chama um processo de higienização por parte da Prefeitura de Florianópolis contra essa população. Intitulado “Contra o fechamento do Centro Pop e demais ações de higienização”, o documento faz diversas críticas ao descaso do poder público local, ao descumprimento das políticas públicas previstas em legislação federal e ao fato de que o movimento nunca foi procurado para debater tais ações. Uma das principais é ao programa “Floripa Social”, que promove ações em conjunto da Assistência Social com o recentemente criado Grupo Permanente em Defesa das Pessoas em Situação de Rua, capitaneado pelo MP-SC, anunciado como solidário mas que na verdade tem promovido repressão e o recolhimento de pertences dos moradores em situação de rua.

A falta de um albergue social e o iminente fechamento do Centro Pop, único lugar de atendimento para essa população na cidade, estão no centro das denúncias. O movimento conseguiu impedir o fechamento do Centro ao forçar uma reunião com o prefeito em exercício, João Batista (PSDB), no dia 23 de agosto, que prometeu manter o serviço em funcionamento até que a mudança de endereço prevista seja efetivada. Um equipamento público não pode cessar o atendimento de serviços, e por isso o movimento agora exige um compromisso por escrito. A Carta também denuncia o uso do trabalho de grupos religiosos voluntários no tratamento com essa população ao invés da contratação funcionários públicos que tenham formação e perfil para a área.

A carta é assinada por 28 movimentos sociais, sindicatos e mandatos políticos, entre eles as Defensorias Públicas de Santa Catarina e da União, o padre Vilson Groh e o vereador Lino Peres.