REUNIÃO COM SECRETÁRIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA

Notícias 29/01/2020

Nosso mandato, Instituto Arco-Íris e o Movimento População em Situação de Rua de Florianópolis estiveram nesta terça-feira, 28, no gabinete da secretária de Assistência Social do município, Maria Cláudia Goulart, para a primeira reunião do ano com objetivo de rever e apontar novas demandas das políticas para a população em situação de rua.

Foram rediscutidas as suspensões d@s usuári@s na Passarela da Cidadania, localizada na Passarela Nego Quirido, que denunciaram o impedimento do acesso ao banho e alimentação, fornecida a partir de contrato de prestação de serviços entre a Associação Braços Abertos (ABA) e a prefeitura. O Movimento solicitou ainda, que a secretária agilize o planejamento para o atendimento durante o carnaval, haja vista que o local onde el@s são acolhid@s torna-se espaço exclusivo do calendário carnavalesco. Ficou definida a organização de uma assembleia com direção e usuários dos serviços da ABA, para discutir as questões referentes à associação.

Outros pontos tratados na reunião foram: os problemas enfrentados com o transporte do Centro para o abrigo do continente, a forma com que os pertences são recolhidos juntamente com os documentos das pessoas em situação de rua, que manifestaram repúdio a forma arbitrária e inconstitucional com que essas abordagens têm sido feitas na parte central de Florianópolis e o recente fechamento do Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua - Centro Pop, além dos conteúdos envolvendo violência contra os servidores como uma das motivações. O Movimento e o Instituto Arco-Íris acordaram a realização de reuniões semanais com o Centro Pop para discutir os excessos de ambas as partes.

Para uma próxima reunião, o grupo discutirá sobre a avaliação e monitoramento de saúde d@s usuári@s dos equipamentos públicos, em especial o controle de doenças infectocontagiosas. O objetivo da secretária é que seja apontada uma metodologia que se adeque às características deste público, que transita pelo município e pelas cidades vizinhas, o que segundo ela dificulta a atuação em questões relacionadas à saúde.