13 DE MAIO, NADA A COMEMORAR

Notícias 13/05/2019

Foto: Danilo Verpa / Folha de São Paulo

O que dizer para milhões de negras e negros trabalhadores, pobres e excluídos nesta data de 13 de maio?
 
Os cenários são desalentadores. A Reforma Trabalhista que prometia resolver os elevados índices de desemprego, elevou a precarização dos postos de trabalho, rebaixou os salários e intimidou as(os) trabalhadoras(es), fazendo-as(os) recorrer à justiça para garantir seus direitos.
 
A Reforma da Previdência em curso aponta para os piores cenários. O caminho que Paulo Guedes, ministro da economia, impõe à maioria da sociedade brasileira é para desacreditar no futuro e de como ficará o nosso dia a dia.
 
Em uma conjuntura em que crescem os indicadores de trabalhadoras(es) desalentadas(os), de moradoras(es) em situação de rua e de vítimas da crescente violência, a solução proposta pelo governo para esse descalabro, é a aprovação, em festa, da liberação do uso de armas letais. Isso é promover a barbárie!
 
Neste dia de hoje, nada aponta para a superação dos grilhões da escravidão, esta terrível memória nunca reparada em nosso país. O governo promove políticas que destroem os poucos avanços que alcançaram a população negra e as(os) excluídas(os), nos últimos anos.
 
Cortar benefícios sociais, impedir investimentos básicos em nome da economia de mercado, como está fazendo na educação, é uma evidente demonstração de descompromisso com o futuro do País.
 
É obrigação da sociedade que se beneficiou da escravidão construir outros "13 de maio". O deste ano é um dos piores que estamos enfrentando no após o inconcluso e inacabado processo de abolição. O dia de luta e protestos pela causa negra é 20 de Novembro! Conquista histórica do Movimento Negro Brasileiro.
 
Nada a comemorar! Estamos diante de uma tragédia social e econômica que atinge mais a população negra, em especial as mulheres e a juventude negra.