DESPREPARO DOS(AS) DEPOENTES MARCA CPI DO TRANSPORTE COLETIVO

Notícias 12/04/2019
 
Foto: Elisa Jorge 
 
A cada nova oitiva da CPI do Transporte Coletivo, a nossa hipótese de que houve uma manipulação por parte da Prefeitura para beneficiar o Consórcio Fênix ganha cada vez mais respaldo. Ontem, durante a terceira coleta de depoimentos, Ivan Roberto da Silva, presidente do SINDITÁXI (Sindicato dos Taxistas de Florianópolis e Região) e, por isso, um dos integrantes do Conselho de Mobilidade Urbana, confessou seu completo despreparo ao participar, como conselheiro, da reunião que discutiu a tarifa do transporte coletivo, em dezembro de 2018. Ele reconheceu que, na época, não compreendeu a importância da pauta; lembrou que o debate, no dia, foi bastante conturbado; e alegou que como representante dos e das taxistas não sabia que poderia influir em algo referente aos ônibus.
 
O fato de uma questão tão preponderante para as moradoras e moradores da cidade ter sido debatida de maneira açodada e sem que pessoas responsáveis pelo assunto tivessem completa ciência de suas responsabilidades demonstra o descaso dos empresários que compõe o consórcio com as(os) usuárias(os) e a falta de interesse político da PMF em cumprir a sua função de garantir um serviço de qualidade para a população. Um outro agravante é que não foi publicizada a ata e nem realizada, conforme é previsto, uma reunião para aprová-la.
 
 
"O depoimento do Ivan repete problemas ocorridos com o eng. Maurício Back Westrupp, que depôs na reunião da CPI, realizada em 21 de março: despreparo com o tema, o que é mais grave, pois Westrupp representa o IPUF (Instituto de Planejmento Urbano de Florianópolis)", lembrou Lino, criticando também o fato de o órgão - que tem o sistema de mobilidade urbana a ele integrado - não ter sido informado com antecedência sobre a planilha elaborada das tarifas; nem seus representantes serem qualificados com antecedência para tratar de um tema que mexe com a vida de mais de 200 mil usuários do transporte coletivo. "O engenheiro revelou, ainda, uma atitude passiva diante de um Conselho que referendou a elevação da segunda tarifa mais cara do país em uma cidade com pior malha viária de todas as cidades brasileiras", lamenta Lino.
 
O próximo encontro da CPI será no dia 18 de abril, às 13h30, na Câmara Municipal para ouvir: 
 * Humberto Ouriques Neto, representante no Conselho do Sindicato de Veículos do Transporte Escolar, que deveria ter comparecido na oitiva de ontem à tarde, porém justificou ausência; 
 * Nilton Silva Pacheco, representante do transporte de Turismo de Passageiro; 
 * Sandro Maurício da Silveira, representante Sindicato Transporte com Frota Própria.
 
Quem quiser acompanhar, pode assistir à transmissão ao vivo pelo canal oficial da TV Câmara no Youtube ou pela televisão nos canais 61.4 da TV aberta ou 16 da NET.